Atriz Letícia Sabatella é autista - O Mundo Autista
O Mundo Autista

Atriz Letícia Sabatella é autista

Atriz Letícia Sabatella é autista. Foto de Letícia Sabatella, plano americano, de boné e falando ao microfone

Letícia Sabatella disse que foi diagnosticada com grau leve de autismo Imagem: Reprodução @PodcastPapagaioFalante

A cada dia uma surpresa: atriz Letícia Sabatella é autista. O diagnóstico chegou agora, em 2023, na idade de 52 anos. Ela revelou a novidade durante a participação no podcast Papagaio Falante. Já eu, recebi o diagnóstico quando estava com 53 anos, em 2016.

Letícia Sabatella está com acompanhamento de uma psiquiatra e neurologista. A realidade da atriz não se difere da realidade de outros adultos com diagnóstico tardio. Embora esteja dentro do Transtorno do Espectro do Autismo desde que nasceu, ela pondera que “Ainda é uma coisa que é uma antecipação eu falar, porque não estudei o suficiente para falar sobre isso.”

Assim, Letícia começa a perceber as estratégias usadas para lidar com características diferentes da maioria que a cercava. Ela afirma que a escolha de atuar foi um mecanismo para “mascarar” os sintomas. E ela explica: “O fato de eu escolher o teatro, escolher a arte, foi meu mecanismo para, de algum modo, superar ou acomodar essa realidade, esse modo de ver as coisas, que traz muita hipersensibilidade, uma ingenuidade”.

Letícia também contou que já foi beijada sem autorização por um ator famoso, no início da carreira. O fato marcou sua vida. Fato semelhante acontece ou já aconteceu com várias mulheres autistas, com diagnóstico tardio. Aliás, a mulher autista tem uma ingenuidade genuína e não consegue antever sinais de perigo. Tanto que Letícia conta: “Me travou, me deixou chateada, porque não foi avisado, não foi combinado, não estava esperando. Ele é famoso, já pagou seus pecados”.

Vida sem diagnóstico – Atriz Letícia Sabatella é autista

Essa notícia me fez pensar que eu ouço repetidas vezes que eu não pareço autista. Logo em seguida, aquele olhar de desconfiança do autismo como a moda da vez. Gostaria que as pessoas reavaliassem tal atitude. Afinal, estamos diante de uma realidade que vomita na cara da sociedade que somente agora, os profissionais da saúde conseguem diagnosticar o autismo em mulheres com mais precisão.

Receber o diagnóstico tardio já nos traz um desconforto que tem a ver com nossa identidade. A invalidação vinda da falta de conhecimento, só nos traz sofrimento. Na verdade o diagnóstico nos liberta e nos traz um norte para a vida. Tem a ver com o direito natural ao autoconhecimento. Já essas opiniões distorcidas, esse capacitismo travestido de preocupação, essa invalidação é o que nos faz sofrer, de fato!

É preciso saber que, desde sempre, as características próprias de pessoas dentro do TEA trazem prejuízo à vida delas. O autoconhecimento que vem com o diagnóstico, é que nos possibilita lidar com nossas características ‘autísticas’. Por isso, não há como um leigo, mesmo que seja alguém da intimidade do adulto autista, possa saber se ele está ou não dentro do TEA. Afinal, cada um é que “sabe a dor e a delícia de ser o que é.” Conte com a nossa comunidade @mundo.autista, @leticia_sabatella!

Selma Sueli Silva é criadora de conteúdo e empreendedora no projeto multimídia Mundo Autista D&I, escritora e radialista. Especialista em Comunicação e Gestão Empresarial (IEC/MG), ela atua como editora no site O Mundo Autista (Portal UAI) e é articulista na Revista Autismo (Canal Autismo). Em 2019, recebeu o prêmio de Boas Práticas do programa da União Europeia Erasmus+. Prêmio Microinfluenciadores Digitais 2023, na categoria PcD. É membro da UNESCOSOST movimento de sustentabilidade Criativa, desde 2022.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
5 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo
Marcelo
8 meses atrás

Noooooossa que grande notícia. Mudou minha vida.

Cláudia
Cláudia
8 meses atrás

É libertador acredito ser, até porque a compreensão de si mesma diante de algumas situações passada faz toda a diferença.

Marta Naraiana Torres Milhomem
Marta Naraiana Torres Milhomem
8 meses atrás

Olá, me chamo Marta e assisti ao Programa Fantástico da Rede Globo do dia 17/09 e fiquei sabendo como o restante do Brasil que a Atriz Letícia Sabatella tem TEA e fiquei muito comovida com a sua situação. Eu também tenho um problema de saúde, mas o meu é diferente: tenho Epilepsia e sou PCD. Gostaria de manifestar minha solidariedade a ela. E se puderem, por favor, façam com que este pequeno texto chegue até ela e quem sabe, ela possa me responder no meu endereço de e-mail, aí já descrito. Que ela possa fazer um bom tratamento e que continue trabalhando e abrilhantando nossos lares com o que ela faz de melhor: ser uma excelente atriz.

Obrigada pelo espaço.

Marta