O Mundo Autista

A impulsividade e o autismo

Impulsividade e o autismo simbolizado por um envelope de onde saem muitos corações e uma garrafa de champanhe derramando muitos papéis coloridos.

A impulsividade é um dos sintomas mais comuns no autismo. Tanto quem está dentro do Transtorno do Espectro do Autismo TEA, ou Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) são muito impulsivos. Essas pessoas tem tendência para agir sem pensar nas consequências. O que, com certeza, pode gerar problemas de comportamento e dificuldades no relacionamento social.

Entretanto, o que não acontece naturalmente com pessoas neurodivergentes, pode ser resolvido com treinamento de habilidades. Por exemplo, exercitar a empatia para sempre se colocar no lugar do outro e evitar situações constrangedoras.

Respiração, consciência do tempo presente e o não julgamento

Assim, quando você procura entender o contexto da outra pessoa, você elimina julgamentos. É muito difícil não julgar, mas é preciso que todos aprendam a descrever fatos no lugar de expor sua versão deles. Aliás, a nossa versão quase sempre é carregada de juízo de valores e julgamentos, o que, sem dúvida nos afasta uns dos outros.

Todos sabemos que o homem nasceu com a natureza de ‘ser social’. Dessa forma, funcionamos melhor em equipe. Portanto, vale o esforço de treinar essas habilidades. Aliás, vale treinar, também, vivermos no tempo presente. Como? Começando pelo exercício da respiração profunda. Então, a partir daí, vamos tomando consciência de onde nossos pés e mãos estão tocando, que cheiro sentimos, quais os sons estão à nossa volta.

Treinar habilidades nos leva a ter menos impulsividade no autismo

Eu, normalmente, não gosto de dormir empurrando problemas para o dia seguinte. Ocorre que, nem todas as vezes, é possível solucionar pendências dentro de um mesmo dia. Quando eu era mais nova, isso acabava comigo. Eu só pensava no problema, sofria por imaginar que não conseguiria resolver. Enfim, não conseguia nem dormir direito. Naturalmente, no outro dia eu estava com a energia mais baixa para atacar o que me afligia.

Assim, passei a negociar com meu cérebro. Repetia, mentalmente, o porquê não daria para resolver o problema na hora: ‘a loja que preciso ir, já está fechada.’, ‘a pessoa com a qual preciso conversar só poderá me receber no dia seguinte, esses eram alguns dos motivos. A solução fugia ao meu controle. Portanto, não era inteligente ocupar-me disso. Em outras palavras, era improdutivo me PREocupar.

Além disso, eu repassava meus temores e listava possíveis soluções. Por fim, me imaginava feliz, algum tempo depois, com tudo resolvido. Mas devo confessar que levei anos para treinar tais habilidades. Entretanto, hoje, não vivo mais sem meus exercícios de respiração, sem me ocupar do aqui e agora e, muito menos, saio por aí julgando pessoas e situações.

É importante lembrar que TODO ser humano, é rico demais em seu jeito único de ser. E quando tentamos nos entender, mutuamente, todos saem ganhando. Portanto, não acredite em mim. Experimente e tente fazer isso. Dessa maneira, você o resultado alguns dias depois.

Selma Sueli Silva é criadora de conteúdo e empreendedora no projeto multimídia Mundo Autista D&I, escritora e radialista. Especialista em Comunicação e Gestão Empresarial (IEC/MG), ela atua como editora no site O Mundo Autista (Portal UAI) e é articulista na Revista Autismo (Canal Autismo). Em 2019, recebeu o prêmio de Boas Práticas do programa da União Europeia Erasmus+. Prêmio Microinfluenciadores Digitais 2023, na categoria PcD. É membro da UNESCOSOST movimento de sustentabilidade Criativa, desde 2022.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments